Fique por dentro das 5 principais notícias do mercado desta terça-feira - Investing.com


Investing.com - Os EUA vão às urnas, enquanto as especulações sobre uma “onda azul” e um grande e rápido pacote de estímulo impulsiona os futuros de ações e o petróleo. A Austrália corta taxas de juros e inicia flexibilização quantitativa, dois dias antes das reuniões do Fed e do Banco da Inglaterra. E Jack Dorsey sobrevive como CEO do Twitter.

Aqui está o que você precisa saber sobre os mercados financeiros na terça-feira, 3 de novembro.


1. Dia da Eleição

Os EUA vão às urnas para eleger um novo presidente, 35 senadores e 435 parlamentares na Câmara dos Representantes.

As pesquisas de opinião ainda parecem indicar uma "varredura azul" que daria ao Partido Democrata o controle da Casa Branca e de ambas as Casas do legislativo. No entanto, uma repetição de 2016, em que os resultados reais da votação desafiaram pesquisas semelhantes, ainda é facilmente possível.

Por causa das diferentes regras aplicadas por cada estado no que diz respeito à contagem e processamento de cédulas, é bem possível que o vencedor da eleição presidencial não seja conhecido na manhã de quarta-feira - até porque o titular tem sistematicamente descartado conceder e reivindicado que apenas a fraude eleitoral pode impedi-lo de ganhar.

No entanto, dois principais estados indecisos, Carolina do Norte e Flórida, provavelmente apresentarão seus resultados, que darão uma forte indicação da tendência.


2. Austrália mostra que a política monetária não está morta

O Banco da Reserva da Austrália lembrou aos mercados mundiais que os bancos centrais ainda não ficaram sem munição, cortando sua taxa básica de 0,25% para 0,10%. O RBA (na sigla em inglés para Reserve Bank of Australia) também anunciou seu primeiro programa de flexibilização quantitativa, com um tamanho total de 100 bilhões de dólares australianos. As decisões seguiram as expectativas.

Depois de intensa volatilidade, o “Aussie” – como é denominada a moeda australiana em inglês - está praticamente onde estava no início do ano em relação ao dólar. Por volta das 08h52, ele estava em US$ 0,7131, apoiado por uma explosão de fraqueza do dólar na sessão.

A mudança veio dois dias antes do Federal Reserve e do Banco da Inglaterra anunciarem os resultados de suas últimas reuniões de política, enquanto o Banco Central do Brasil manteve a taxa em 2% na semana passada.


3. Futuros de NY sobem na especulação de estímulo

Os mercados de ações dos EUA devem abrir em alta, apoiados pelas expectativas de uma "varredura azul" do Congresso que tornaria mais fácil para o novo governo aprovar um grande pacote de estímulo econômico com pouco atraso.

Às 08h58, os futuros de Dow 30 subiam 454 pontos, ou 1,69%, enquanto os futuros de S&P 500 avançavam 1,3% e os futuros de Nasdaq tinham alta de 0,58%, que novamente apresenta desempenho inferior com a rotação de carteira à medida que os investidores optam por ações cíclicas que tiveram um desempenho muito ruim este ano.

Humana (NYSE:HUM) (SA:H1UM34), Exelon (NASDAQ:EXC) (SA:E1XC34), McKesson (NYSE:MCK) (SA:M1CK34) e Fox (NASDAQ:FOX) divulgam balanço nesta manhã, enquanto as coisas devem se acalmar após o fechamento. Uma ação que provavelmente estará em foco é a PayPal (NASDAQ:PYPL) (SA:PYPL34), que reduziu sua previsão de receita após a desaceleração do crescimento de usuários no terceiro trimestre.


4. Dorsey sobrevive à pressão ativista no Twitter

Outra ação que provavelmente estará sob os holofotes é o Twitter (NYSE:TWTR) (SA:TWTR34), onde o CEO e fundador Jack Dorsey sobreviveu à pressão do investidor ativista Elliott Management para destituí-lo.

Um comitê nomeado pelo conselho recomendou manter a atual administração, disse a empresa em um arquivamento na noite de segunda-feira. Os representantes da Elliott apoiaram a recomendação.

A decisão vem menos de uma semana depois que o Twitter postou seu menor crescimento de usuários em anos e na véspera de um evento que provavelmente levará a um novo exame de seu modelo de negócios pelo mundo exterior.


5. Recuperação do óleo; estoquese semanais da API serão divulgados

Os preços do petróleo finalmente encontraram algum suporte depois de despencar na semana passada, com os participantes perdendo parte de sua aversão ao risco mais ampla e também se confortando com as dicas de que os principais produtores de petróleo estão lentamente se preparando para abandonar um aumento de produção programado.

O ministro do petróleo russo, Alexander Novak, se reuniu com representantes de empresas petrolíferas na segunda-feira para discutir o assunto, de acordo com agências de notícias russas, mas havia poucos detalhes sobre o resultado da reunião.

No Oriente Médio, a Saudi Aramco (SE:2222) teve um lucro de US$ 11,8 bilhões no terceiro trimestre, um aumento de 78% em relação aos três meses anteriores, mas ainda não o suficiente para cobrir seus dividendos.

Às 09h01, os futuros do petróleo dos EUA subiam 3,07%, a US$ 38,05 o barril, enquanto os futuros do Brent avançavam 3,23%, a US$ 40,23 o barril. A estimativa de estoques semanais do American Petroleum Institute será divulgada hoje às 18h30.


Fonte: Investing.com

1 visualização0 comentário