Fique por dentro das 5 principais notícias do mercado desta terça-feira - Investing.com

O número de casos de Covid-19 em todo o mundo aumentou pela primeira vez em oito semanas na semana passada, ao mesmo tempo em que a Organização Mundial da Saúde disse que as pessoas estão "baixando a guarda".

O principal regulador da China dá um susto nos mercados locais ao alertar sobre bolhas. As varejistas Target e Ross divulgam balanços nos EUA, enquanto a Via Varejo (SA:VVAR3) reporta por aqui, após o fechamento.

O rali do petróleo dá uma pausa, caindo após um recuo na produção russa no mês passado.


Aqui está o que você precisa saber sobre os mercados financeiros na terça-feira, 2 de março.



1. Casos de Covid-19 sobem pela primeira vez em oito semanas na semana passada

A pandemia está de volta. Ou melhor, seu fim parece estar um pouco mais atrasado, depois que a Organização Mundial da Saúde alertou que o número de casos globais aumentou pela primeira vez em oito semanas na semana passada.

Os casos notificados aumentaram em quatro das seis regiões da OMS - Américas, Europa, sudeste da Ásia e Mediterrâneo oriental - devido ao relaxamento das medidas de saúde pública, a propagação de novas mutações e, de acordo com o chefe da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, “pessoas baixando a guarda”.

Os números chegam em um momento em que os estados e cidades dos EUA estão lentamente retirando as restrições à vida econômica e social à medida que a campanha nacional de vacinação ganha velocidade, ajudada pela aprovação da vacina Covid-19 da Johnson & Johnson (NYSE:JNJ) (SA:JNJB34) no fim de semana. Por aqui, 18 das 26 capitais brasileiras tem mais de 80% de ocupação dos leitos de UTIs, com secretários da Saúde dos estados pedindo por lockdowns.

Enquanto isso, a Alemanha, maior economia da Europa, planeja reabrir lojas não essenciais em áreas com baixas taxas de infecção, liberando o lockdown em vigor desde dezembro. O presidente francês Emmanuel Macron diz que a França ainda precisa de mais 4-6 semanas.


2. Lucros do varejo em foco

O setor de varejo deve dominar a lista de balanços do dia tanto aqui como nos EUA, com divulgações da Target (NYSE:TGT) (SA:TGTB34), Nordstrom (NYSE:JWN) (SA:J1WN34) e Ross Stores (NASDAQ: ROST) (SA:ROST34) nos EUA e da Via Varejo por aqui.

As expectativas são altas para a Target, que já relatou um aumento de 17% nas vendas no período de novembro e dezembro, graças à sua flexibilidade em adotar a coleta junto à calçada e outras táticas de combate à pandemia.

Já a argentina Mercado Livre (NASDAQ:MELI) (SA:MELI34) finalmente publicou os resultados trimestrais após repetidos atrasos, relatando uma perda surpreendente de mais de um dólar por ação, em vez do lucro de US$ 0,16 como esperado. O site de comércio eletrônico tem uma das avaliações mais complicadas de todas, depois de uma alta estelar no ano passado. As ações caíam 2,12% no pré-mercado.


3. Índices devem abrir com pequena correção

As ações dos EUA devem abrir ligeiramente em queda, abrindo mão de apenas dos ganhos obtidos em uma alta explosiva na segunda-feira, impulsionada pela aprovação da vacina da J&J e pela aprovação do projeto de estímulo pela Câmara dos Representantes.

Por volta das 9h19, os futuros do Dow Jones, do S&P 500 e do Nasdaq caíam 0,07%, 0,14% e 0,16% respectivamente.

Já o EWZ, o principal ETF brasileiro negociado no exterior, caía 1,04%.


4. Regulador da China alerta sobre bolha

O principal regulador bancário da China alertou que está preocupado com o risco de bolhas nos mercados estrangeiros. Ele também admitiu que o setor habitacional chinês parece esticado.

Guo Shuqing, presidente da Comissão Reguladora de Bancos e Seguros da China e secretário do Partido, disse que os mercados europeu e americano estão indo na direção oposta de suas economias subjacentes e devem ser corrigidos.

Seus comentários desencadearam uma onda de vendas nos mercados chineses, já que os analistas os interpretaram como uma forma de alertar sobre as condições domésticas, sem criticar explicitamente as autoridades que os permitiram. Analistas do Saxo Bank destacam que as ações chinesas são negociadas atualmente com um prêmio recorde para seus pares mundiais, tendo sido negociadas com desconto durante grande parte dos últimos 10 anos.


5. Após queda no início da manhã com dados russos, petróleo sobe

Os preços do petróleo bruto subiam após iniciar o dia com leve queda após dados russos sobre produção.

Perto das 9h21, os preços do petróleo WTI subiam 0,26% a US$ 60,80 o barril, enquanto os futuros do Brent avançavam 0,11% a US$ 63,76 o barril. Ambos os contratos avançavam após dados mostrando que a produção tanto da OPEP como da Rússia caíram em fevereiro. O primeiro foi devido ao corte de produção anunciado publicamente de 1 milhão de barris por dia da Arábia Saudita, e o último devido a uma onda de frio prolongada. Os números vêm antes da revisão mensal de quinta-feira da política de produção do grupo.

Já o The Wall Street Journal informou que o American Petroleum Institute está prestes a endossar o princípio de precificar as emissões de dióxido de carbono, abandonando sua oposição de longa data.


Fonte: Investing

3 visualizações0 comentário