Fique por dentro das 5 principais notícias do mercado desta sexta-feira - Investing.com

Investing.com -- Os mercados globais estão estáveis após a liquidação de quinta-feira, mas a espuma continua a sair de nomes de tecnologia superaquecidos. Espera-se que os EUA tenham adicionado 1,4 milhão de empregos em agosto, mas muitos deles são contratações pontuais para o censo de 2020.

O governo dos Estados Unidos não fechará em outubro, e os preços do petróleo dispararam após um breve pânico sobre o excesso de oferta global.

Aqui está o que você precisa saber sobre os mercados financeiros na sexta-feira, 4 de setembro.

1. Mercados globais se estabilizam após queda

Os mercados globais se estabilizaram após a pior liquidação em meses em Wall Street na quinta-feira, quando os participantes chegaram à conclusão de que o incidente era mais específico para ações superaquecidas de tecnologia.

Embora todos os mercados da região Ásia-Pacífico tenham terminado em baixa, as perdas de cerca de 1% não foram nem de longe tão graves quanto as vistas nos EUA na quinta-feira. As bolsas europeias, que já haviam participado do movimento de baixa na quinta-feira, se recuperaram fortemente, com ações de bancos em particular levantadas pelo anúncio de negociações para criar o maior credor na Espanha.

O dólar e outros portos-seguros tradicionais, enquanto isso, não ganharam muita força, com o Índice Dólar se acomodando em uma faixa bem abaixo de 93 e os futuros de ouro subindo apenas 0,4%, a US$ 1.945 por onça.

2. Relatório de empregos traz uma nova luz sobre a recuperação

Os EUA publicarão seu relatório oficial do mercado de trabalho para o mês até meados de agosto, após uma enxurrada de sinais conflitantes de outros dados do mercado de trabalho esta semana.

As expectativas para o crescimento da folha de pagamento não-agrícola variam de menos de 750.000 a mais de 2 milhões, indicando o alto grau de incerteza entre os analistas. A previsão média, de acordo com analistas ouvidos pela Investing.com, é de cerca de 1,40 milhão, o que representaria uma desaceleração em relação aos 1,76 milhão de julho, mas um progresso ainda sólido, dado que o período do relatório coincidiu com um aumento nos casos de Covid-19 que freou a reabertura econômica.

No entanto, o número provavelmente será inflado pelas contratações do governo para o Censo de 2020. A contratação privada, medida pela pesquisa mensal da ADP, ficou bem abaixo das expectativas na quarta-feira. Os dados de pedidos de seguro-desemprego divulgados na quinta-feira, entretanto, mostraram que mais de 29 milhões de norte-americanos ainda pediam benefícios em meados de agosto.


3. Ações devem abrir mistas, mas ações de tecnologia ainda estão sob pressão

Os mercados de ações dos EUA devem abrir em alta modesta, estabilizando-se após a forte liquidação de quinta-feira.

Às 8h51 (horário de Brasília), o contrato futuro do Dow 30 subia 13 pontos, ou 0,05%, enquanto o contrato futuro do S&P 500 caía 0,31%.

O Nasdaq 100 futuros caía, no entanto, outros 1,46%, refletindo a extensão em que a derrota de ontem foi essencialmente uma correção de uma alta em um punhado de ações de tecnologia, em vez de uma mudança no sentimento sobre o panorama econômico.

As ações da Apple (NASDAQ:AAPL), cuja queda de 8% bateu recordes ontem para a maior perda de um dia em capitalização de mercado, caiu mais 0,1% no pré-mercado, enquanto as ações da Tesla (NASDAQ:TSLA) caíam 1,2%, estendendo sua queda de 9% da quinta-feira. As ações da Zoom Video caíam 1,4%, enquanto as ações da Amazon (NASDAQ:AMZN) caíam 0,2%.

Além disso, uma pesquisa da consultoria Smart Insider, citada pelo Financial Times, mostrou que executivos de empresas de grande capitalização dos EUA venderam US$ 6,7 bilhões de suas próprias ações no mês passado, enquanto o número de vendedores chegou a 1.000, atingindo seu nível mais alto desde agosto de 2018.

4. Sem paralisação do governo em outubro

O secretário do Tesouro dos EUA, Steven Mnuchin, e a presidente da Câmara, Nancy Pelosi, concordaram em não paralisar o governo em outubro, no início do novo ano fiscal, de acordo com a Associated Press.

A notícia aponta novamente para pelo menos um mínimo de cooperação entre os dois lados, à medida que continuam a discutir sobre a escala e a forma de uma nova rodada de medidas de estímulo (cuja necessidade será mostrada no relatório de hoje sobre o mercado de trabalho).

Os republicanos do Senado devem realizar uma votação sobre o pacote proposto de US$ 500 bilhões na próxima semana, de acordo com a Bloomberg. Isso ainda está muito longe da última proposta de US$ 2,2 trilhões de Pelosi.

5. Petróleo se recupera após o susto do excesso de oferta; contagem de equipamento em foco

Os preços do petróleo bruto se recuperaram quando um breve surto de pânico sobre o aumento da oferta diminuiu.

Às 8h31, os futuros do petróleo dos EUA subiam 0,8%, a US$ 41,72 o barril, recuperando-se do que foi apenas um teste tímido do nível de US$ 40, que tem sido o fundo de sua faixa nos últimos três meses. Os futuros de Brent, a referência internacional, subiam 0,7%, a US$ 44,36 o barril, enquanto os futuros da gasolina estavam de volta a US$ 1,20 o galão.

Os dados semanais de contagem de sondas da Baker Hughes encerrarão a semana às 14h.

Fonte: Investing.com

3 visualizações