Fique por dentro das 5 principais notícias do mercado desta sexta-feira. - Investing.com

Investing.com - O dólar cai e o ouro sobe à medida que o mundo absorve as implicações da mudança da política monetária do Fed. Shinzo Abe deixa o cargo de primeiro-ministro do Japão, derrubando o índice Nikkei. 

As ações dos EUA devem abrir mistas, o clima econômico da Europa vacila um pouco em agosto e o petróleo continua bem cotado com o furacão Laura. 

Aqui está o que você precisa saber sobre os mercados financeiros na sexta-feira, 28 de agosto.


1. Dólar cai, ouro sobe enquanto Powell vai devagar com a inflação

O dólar enfraqueceu e os preços do ouro subiram acentuadamente enquanto o mercado absorvia as implicações do discurso do presidente do Federal Reserve, Jerome Powell, na quinta-feira.

Powell disse que o Fed irá tolerar uma inflação acima de 2% por algum tempo, a fim de compensar os anos de inflação abaixo da meta - aumentando as especulações de que o Fed aumentará seu estímulo monetário para apoiar uma economia que está tendo uma recuperação desigual da pandemia.

O Índice Dólar, que acompanha o dólar em relação a uma cesta de seis moedas de mercados desenvolvidos, caía 0,8%, para seu nível mais baixo em duas semanas, testando uma nova baixa de 28 meses. O euro subiu novamente acima de US$ 1,19 e a libra esterlina testou o nível de US$ 1,33.

Os futuros do ouro subiam 1,9%, para US$ 1.969 por onça, estimulados pela aparente defesa da narrativa de desvalorização da moeda que impulsionou grande parte da recente alta.


2. Sayonara, Shinzo

Shinzo Abe, o primeiro-ministro do Japão há mais tempo no cargo, renunciou devido a problemas de saúde. Em oito anos no cargo, Abe foi frustrado por uma série de crises e pelos problemas econômicos internos do Japão e não cumpriu sua promessa de vitória sobre a deflação.

O índice Nikkei caiu 1,4% para uma mínima de duas semanas com as notícias, enquanto o iene se fortaleceu em uma reação reflexa à incerteza política criada.

Essa incerteza deve permanecer dentro dos limites. O Partido Liberal Democrático de Abe provavelmente permanecerá no poder no futuro previsível, e muitos dos sucessores discutidos são pessoas escolhidas a dedo por Abe ao longo dos anos por causa de sua proximidade com seu pensamento.


3. Ações devem abrir em alta, com DJIA liderando novamente

Os mercados de ações dos EUA devem abrir em alta na sexta-feira, com a indústria devendo novamente superar as ações de tecnologia na esteira da mudança de política de Powell na quinta-feira.

Às 8h56 (horário de Brasília), o contrato futuro de Dow 30 subia 138 pontos, ou 0,5%, enquanto o contrato futuro S&P 500 subia 0,3%. O contrato do Nasdaq 100 subia 0,1%.

As ações que provavelmente estarão em foco mais tarde incluem Microsoft (NASDAQ:MSFT), Oracle (NYSE:ORCL) e Walmart (NYSE:WMT), todas no centro da especulação de que um acordo para as operações nos EUA do aplicativo de streaming de vídeo TikTok é iminente. O secretário de Comércio, Wilbur Ross, disse que a venda era necessária não apenas por motivos de segurança nacional, mas também para aumentar a competição no espaço da mídia social.


4. Nuvens no horizonte da Europa

A recuperação econômica da Europa tropeçou um pouco em agosto, quando o coronavírus mostrou sinais de retorno, explorando o relaxamento do bloqueio e medidas de distanciamento social na temporada de turismo de verão.

A confiança do consumidor alemão enfraqueceu e os gastos do consumidor francês caíram em termos mensais, embora os economistas argumentassem que os números das manchetes foram piores do que as tendências subjacentes.

A confiança dos empresários e dos consumidores italianos subiu, no entanto - embora, no caso dos negócios, a melhora tenha sido menor do que o esperado. O achatamento da recuperação ainda não se mostrou uma desvantagem material para os mercados de títulos do continente: a Itália conseguiu vender títulos de 10 anos a uma taxa de 1,11%.


5. Preços do petróleo se recuperam com passagem do furacão Laura

Os preços do petróleo se recuperavam à medida que o furacão Laura avançava pelos EUA de forma muito reduzida, sem causar qualquer tipo de dano duradouro à infraestrutura de energia da região do Golfo, seja offshore ou entre refinarias e instalações de armazenamento.

Às 8h58, os futuros do petróleo dos EUA subiam 0,02%, a US$ 43,05 por barril, enquanto o benchmark global Brent caía 0,1%, para US$ 45,55.

A passagem do furacão permite que o mercado volte a se concentrar no que tem sido um conjunto de notícias majoritariamente favoráveis ​​esta semana, com a demanda se mantendo bem o suficiente para dar uma mordida decente nos estoques dos EUA.

A contagem de sondas semanal da Baker Hughes é esperada.

1 visualização