Fique por dentro das 5 principais notícias do mercado desta segunda-feira - Investing.com

Investing.com -- As ações devem despencar com um coquetel de más notícias: o vírus está crescendo novamente na Europa, enquanto a morte da juíza da Suprema Corte Ruth Bader Ginsburg ameaça distrair os legisladores de aprovar um pacote de estímulo fiscal.

As ações de bancos estão sob pressão após uma reportagem do fim de semana alegando cumplicidade maciça no processamento de fundos ilícitos, enquanto o presidente fundador de Nikola, Trevor Milton, renunciou em meio a alegações de fraude.

Aqui está o que você precisa saber sobre os mercados financeiros na segunda-feira, 21 de setembro.

1. Arquivos da FinCEN derrubam ações de bancos

Arquivos vazados da Rede de Execução de Crimes Financeiros do Tesouro dos EUA mostraram que dezenas de bancos globais falharam em monitorar e evitar trilhões de dólares de pagamentos suspeitos que passavam por seus sistemas ao longo de vários anos.

Embora muitos dos detalhes sejam amplamente históricos, o vazamento, no entanto, continha material inédito que atingiu fortemente as ações de bancos europeus na manhã de segunda-feira.

Barclays, Deutsche Bank (DE:DBKGn) e ING (AS:INGA) foram particularmente atingidos, enquanto o HSBC (LON:HSBA) não apenas figurou com destaque nos arquivos vazados, mas também foi apontado pelo Chinese Global Times como um provável candidato a ser colocado na lista oficial da China de “entidades não confiáveis”, o que a exporia ao risco de sanções prejudiciais aos seus negócios na China.

2. Milton, presidente da Nikola, renuncia ao cargo

Trevor Milton, o fundador da fabricante de caminhões elétricos Nikola (NASDAQ:NKLA), deixou o cargo de presidente do conselho após denúncias de fraude que agora são objeto de investigação da Comissão de Valores Mobiliários dos EUA (SEC, na sigla em inglês).

Milton será substituído como presidente por Stephen Girsky, ex-vice-presidente da General Motors e atual membro do conselho de Nikola. A notícia chega apenas duas semanas depois que a GM concordou em pagar US$ 2 bilhões por uma participação de 20% na Nikola e disse que faria parceria com a empresa na fabricação de seu caminhão Badger.

As ações da Nikola caíam 28% no pré-mercado, enquanto as ações da GM caíam 3,9%.

3. Proibição do WeChat interrompida; TikTok permanece chinês

Um juiz federal da Califórnia bloqueou a ordem executiva do presidente Donald Trump que teria fechado a plataforma WeChat nos EUA com base na primeira emenda. A mudança é uma vitória para sua proprietária, a Tencent Holdings (HK:0700).

Enquanto isso, o Departamento de Comércio suspendeu a ordem que proibia os downloads do aplicativo de streaming de vídeo TikTok, citando o progresso na conclusão de um acordo que tornaria Oracle (NYSE:ORCL) e Walmart (NYSE:WMT) acionistas minoritários em suas operações nos Estados Unidos. Trump disse no sábado que aprovou tal acordo.

ByteDance, o proprietário chinês da TikTok, disse que não transferirá nenhuma tecnologia para nenhuma das empresas como parte do negócio, minando a afirmação de Trump de que a China não teria "nada a ver" com a TikTok nos EUA.

4. Ações devem abrir em forte queda

Os mercados de ações dos EUA devem abrir em forte baixa na segunda-feira, sob o peso de uma série de notícias, além de suspeitas de que a morte da juíza da Suprema Corte Ruth Bader Ginsburg no fim de semana distrairá os legisladores da tarefa urgente de aprovar um novo pacote de medidas de apoio econômico.

Relatos de que o Reino Unido está prestes a impor novas restrições para colocar uma segunda onda do vírus da Covid-19 sob controle também foram um fator.

Às 8h49 (horário de Brasília), os futuros do Dow caíam 509 pontos, ou 1,8%, enquanto o contrato futuro do S&P 500 caía 1,5% e o Nasdaq futuros caía 1,1%.

Embora as notícias da Nikola não tenham repercussão direta para o resto do mercado, elas chegam em um momento em que se espalham os temores de que as valuations das ações de tecnologia atingem níveis insustentáveis.

5. Reino Unido anuncia novas restrições para domar vírus

O governo do Reino Unido deve anunciar novas restrições à vida pública para conter um aumento acentuado nos casos de Covid-19.

O principal conselheiro científico do governo, Sir Patrick Vallance, disse em uma coletiva que o Reino Unido enfrentará 50.000 novos casos por dia em meados de outubro se novas medidas não forem implementadas agora.

O conselheiro médico chefe Andrew Whitty disse, entretanto, que o país estava indo "na direção errada".

Os relatos da mídia do Reino Unido sugerem que as novas medidas do governo visarão em grande parte os setores de hospitalidade e transporte. Eles parecem destinados a frustrar os outros objetivos do governo de ter mais pessoas para retornar ao local de trabalho e de eliminar o esquema de licença nacional a partir de outubro. A libra esterlina caiu 0,5% em relação ao dólar em resposta.

Fonte: Investing.com

1 visualização0 comentário