Fique por dentro das 5 principais notícias do mercado desta segunda-feira

Investing.com - O presidente Donald Trump agita a Geórgia antes do segundo turno do Senado; o Reino Unido começa a distribuir a vacina AstraZeneca-Oxford; o dólar enfraquece, elevando os preços das commodities, e o Irã reinicia o enriquecimento de urânio em desafio ao novo presidente Joe Biden.

Aqui está o que você precisa saber sobre os mercados financeiros na segunda-feira, 4 de janeiro.

LEIA MAIS: Efeito Biden, Covid, retorno às viagens e mais: 7 assuntos para observar em 2021


1. Trump pressiona Geórgia


O presidente Donald Trump pressionou o secretário de Estado da Geórgia, Brad Raffensberger, para "encontrar" votos suficientes para derrubar o resultado da eleição presidencial do estado em um telefonema que durou mais de uma hora, de acordo com o Washington Post e outros.

Uma gravação da ligação divulgada pelo Post mostra Trump repetindo como fatos afirmações de fraude eleitoral que já foram rejeitadas pelos tribunais da Geórgia e acusando Raffensberger de um crime ao relatar um resultado eleitoral incorreto. Os votos lançados na Geórgia foram contados três vezes e confirmaram a vitória do presidente eleito Joe Biden por uma margem estreita de 11.779.

A importância imediata da chamada, e relatos sobre ela, são seus efeitos sobre os prováveis ​​eleitores republicanos nas duas eleições de terça-feira para as duas cadeiras do Senado da Geórgia. O Partido Republicano manterá o controle do Senado - e sua influência sobre a política fiscal - por mais dois anos se puder manter qualquer uma das duas cadeiras.


2. Reino Unido lança vacina AstraZeneca; casos seguem em alta


O Reino Unido se tornou o primeiro país do mundo a usar a vacina AstraZeneca (NASDAQ:AZN) (SA:A1ZN34)/Oxford Covid-19 depois que os órgãos reguladores de saúde a aprovaram no final do ano passado.

O país está lutando contra um aumento agudo de novas infecções por Covid-19, em grande parte devido à presença de uma nova cepa do coronavírus que parece ser mais contagiosa do que sua variante original. Os hospitais de Londres estão tendo que transferir pacientes para áreas a mais de 320 quilômetros de distância, tendo atingido a capacidade total em suas unidades de terapia intensiva. O Times informou que muitas escolas estão planejando permanecer fechadas no final das férias de Natal, desafiando as recomendações do governo para reabrir.

O primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, alertou no fim de semana que o país pode ter de impor o que seria seu terceiro bloqueio nacional para conter a propagação da doença. Em outros lugares da Europa, altos funcionários alemães indicaram que a maior economia do continente estenderá suas restrições atuais até o final do mês, enquanto a França acrescentou mais duas horas ao toque de recolher existente em suas regiões mais afetadas.


3. Ações devem abrir em novas máximas


Os mercados de ações dos EUA estão prontos para começar o novo ano em níveis recordes, à medida que os investidores continuam a olhar para os desafios de curto prazo das altas taxas de infecção em todo o mundo e apostam em uma ampla recuperação econômica no final do ano.

O Dow Jones Futuros, o S&P 500 Futuros e o Nasdaq 100 Futuros subiam 0,65%, 0,55% e 0,47%.

LEIA MAIS: Rali de 2020 Chega a 2021

As ações que provavelmente estarão em foco mais tarde incluem Tesla ({{NASDAQ:TSLA) (SA:TSLA34), que disse no fim de semana que não atingiu sua meta de entrega de 500.000 para 2020, e MGM Resorts (NYSE:MGM) (SA:M1GM34), que teve uma oferta de US$ 11 bilhões rejeitada pela Entain, com sede no Reino Unido, cuja tecnologia impulsiona suas operações online BetMGM nos EUA.

VEJA TAMBÉM: Ibovespa Futuros sobe com exterior no primeiro pregão de 2021; vacinas no radar


4. Pesquisas de manufatura na China e Europa enfraquecem


A atividade de manufatura na China e na Europa foi um pouco menos forte em dezembro do que se pensava inicialmente: o PMI Caixin Manufacturing caiu para 53,0, o menor desde agosto, enquanto o PMI do IHS Markit da Zona do Euro ficou em 55,2, abaixo de uma estimativa preliminar de 55,5. Já no Reino Unido, o indicador foi revisado para 57,5, o maior em três anos.

Em um dia calmo para notícias econômicas, haverá dados sobre os gastos com construção dos EUA para novembro ao meio-dia.

Dois membros votantes do Federal Reserve, Charles Evans de Chicago e Raphael Bostic de Atlanta, devem falar no mesmo horário.


5. Fraqueza do dólar, notícias do Irã elevam petróleo


A fraqueza do dólar impulsionou o petróleo e os metais industriais para cima, enquanto também houve sinais da Organização dos Países Exportadores de Petróleo e seus aliados, a Opep+, de que as atuais restrições à produção permanecerão em vigor por mais um mês.

O Petróleo Brent Futuros subia 1,47%, a US$ 52,56 o barril, enquanto o Petróleo WTI Futuros avançava 1,03%, a US$ 49,02.

Os preços também foram impulsionados por relatórios de que o Irã havia retomado o enriquecimento de urânio, em um desafio direto ao novo governo do presidente eleito Joe Biden. A ação do Irã tornará mais difícil para Biden voltar ao acordo apoiado pela ONU do qual o presidente Trump se afastou antes de impor sanções mais duras que cortaram drasticamente as exportações de petróleo do Irã.


Fonte: Investing.com

0 visualização0 comentário