Fique por dentro das 5 principais notícias do mercado desta quarta-feira - Investing.com

Investing.com - Joe Biden sinaliza que não irá retirar as tarifas de Trump da China. Salesforce (NYSE:CRM) (SA:SSFO34) compra o Slack (NYSE:WORK) por US$ 27,7 bilhões. Ações devem ter uma pausa no rali de alta, enquanto o Reino Unido se torna o primeiro país ocidental a aprovar uma vacina contra a Covid-19. Os EUA divulgam o relatório de folha de pagamento privada ADP para novembro. E o petróleo oscila enquanto a Opep briga, após outro aumento nos estoques dos EUA.

Aqui está o que você precisa saber sobre os mercados financeiros na quarta-feira, 2 de dezembro.


1. Biden manterá as tarifas de Trump na China por enquanto

O presidente eleito Joe Biden disse que não removerá imediatamente as tarifas sobre as importações chinesas quando assumir o poder em janeiro, sinalizando que as relações comerciais entre as duas maiores economias do mundo provavelmente permanecerão hostis mesmo depois que Donald Trump deixar a Casa Branca.

“Não vou fazer nenhuma mudança imediata, e o mesmo se aplica às tarifas. Não vou prejudicar minhas opções ”, disse Biden ao New York Times em uma entrevista.

Biden disse que seguiria políticas voltadas para as "práticas abusivas" da China, como "roubo de propriedade intelectual, dumping de produtos, subsídios ilegais a corporações" e a "transferências de tecnologia" de empresas americanas para concorrentes chinesas.

Em outra parte da entrevista, Biden repetiu sua disposição de voltar ao Plano de Ação Conjunto Global com o Irã, apoiado pela ONU, caso consiga comprovar que o acordo está sendo cumprido.


2. Salesforce compra Slack

A Salesforce concordou em comprar o Slack por US$ 27,7 bilhões no segundo negócio de M&A de 11 dígitos da semana, na sequência da movimentação de US$ 44 bilhões da S&P Global pela IHSMarkit.

O negócio fortalecerá a presença da Salesforce no mercado de software corporativo e visa fornecer uma concorrência mais acirrada para a Microsoft (NASDAQ:MSFT) (SA:MSFT34), cujo aplicativo Teams afetou o crescimento das vendas do Slack.

O negócio - o maior de todos os tempos da Salesforce - também dá aos acionistas da Slack um dinheiro em um nível que parecia improvável na maior parte dos últimos 18 meses.


3. Alta global das ações esfria, mas metais seguem

A recuperação das ações globais desacelerou durante a noite, depois de um início turbulento em dezembro devido a notícias mais encorajadoras no campo das vacinas. Pela manhã, na Europa, no entanto, mesmo a notícia de que o Reino Unido havia aprovado o uso de emergência da vacina da Pfizer (NYSE:PFE) (SA:PFIZ34) e BioNTech (NASDAQ:BNTX) contra a Covid-19 não foi suficiente para sustentar a mudança, e o índice Stoxx 600 caía 0,3%.

As ações dos EUA também devem abrir em baixa, depois que o S&P 500 e o Nasdaq Composite fecharam em novos recordes na segunda-feira. Por volta das 9h04, o contrato Dow 30 futuros caía 0,37%, enquanto S&P 500 futuros e NASDAQ Futuros recuavam 0,18% e 0,16%, respectivamente.

ABERTURA: Exterior pausa rali à espera de vacinas; Ibovespa Futuros abre em baixa

A história é diferente nos mercados de moedas e metais, no entanto, onde a fraqueza do dólar continua a sustentar metais preciosos e industriais. O Cobre atingiu máxima de sete anos esta semana, enquanto os futuros de alumínio atingiram o maior pico em mais de dois anos durante a noite. O índice do dólar, enquanto isso, caiu para uma nova mínima de 30 meses.

VEJA TAMBÉM: Espírito das reformas continua, mas crise exigiu pausa na agenda, diz economista


4. Reinício das conversas de estímulo; ADP no radar

A fraqueza do dólar foi impulsionada em parte pelas expectativas de um maior afrouxamento da política monetária e uma política fiscal expansiva, assim que a expansionista Janet Yellen colocar as mãos nas alavancas do poder. Yellen alertou sobre a "devastação" da economia se nada mais for feito agora, em um momento em que o sistema hospitalar dos EUA está cada vez lotdo com o aumento de casos de Covid-19.

Nesse cenário, as negociações sobre um pacote de estímulo fiscal foram retomadas pela primeira vez desde a eleição, mas logo encontraram oposição do líder do Senado, Mitch McConnell.

O secretário do Tesouro, Mnuchin, e o presidente do Federal Reserve Jerome Powell continuam seu testemunho no Congresso mais tarde, mas é improvável que acrescentem muito aos comentários de terça-feira. De mais interesse será o relatório da folha de pagamento privada da ADP de novembro, previsto para às 10h15, no qual é esperado um aumento de 410.000 nas vagas de empregos a partir de outubro.


5. Petróleo oscila com brigas da OPEP, estoques dos EUA sobem

Os preços do petróleo bruto recuaram em meio a dúvidas sobre a política de produção da OPEP e sob a pressão de um terceiro aumento semanal consecutivo nos estoques brutos.

Os dados do American Petroleum Institute mostraram que os estoques de petróleo bruto aumentaram em mais de 4 milhões de barris na semana passada, muito mais do que o esperado. Embora o padrão de consumo semanal seja difícil de ler por causa das distorções do feriado de Ação de Graças, os números parecem apoiar a noção de que a demanda dos EUA está enfraquecendo à medida que as restrições aos negócios e reuniões sociais se tornam mais rígidas nos EUA.

SAIBA MAIS: Petrobras (SA:PETR4) detalha plano estratégico no Investor Day; veja o que dizem os analistas

Os dados de estoques do governo devem ser entregues às 12h30, horário de Brasília, enquanto a OPEP segue no terceiro dia de negociações sobre se deve ou não aumentar a produção em janeiro.

O Petróleo Brent Futuros caía 0,17%, a US$ 47,34, enquanto o Petróleo WTI Futuros cedia 0,47%, a US$ 44,34.


Fonte: Investing.com

2 visualizações0 comentário