Fique por dentro das 5 principais notícias do mercado desta quarta-feira

Investing.com -

Hoje é dia de Fed, e o presidente Jerome Powell terá que explicar as decisões de seus colegas imediatamente após ao que se espera sejam números fracos de vendas no varejo em agosto.

O forte IPO de Snowflake mantém o sentimento de apetite ao risco no mercado acionário. O Facebook recebe um golpe duplo da FTC e de Kim Kardashian.

Yoshihide Suga é o novo primeiro-ministro do Japão, mas a expectativa é de continuidade à maioria das políticas do governo anterior. A UE está ficando ainda mais verde e os preços do petróleo se recuperaram depois que uma grande queda nos estoques dos EUA pegou o mercado de surpresa.

Aqui está o que você precisa saber sobre os mercados financeiros na quarta-feira, 16 de setembro.

1. Termina reunião do Fed, com foco na desaceleração das vendas no varejo

O Federal Reserve encerra sua reunião regular de política monetária de dois dias, com a publicação de sua declaração pós-reunião às 15h (horário de Brasília) e a conferência de imprensa do presidente Jerome Powell, como de costume.

Nenhuma mudança de política é esperada, mas o Fed atualizará suas previsões econômicas, incluindo uma primeira previsão para 2023. Powell também deve ser pressionado sobre como pretende sustentar a recuperação da inflação, em um cenário de alto desemprego e redução nos gastos do consumidor.

LEIA MAIS: Fed deve elevar projeções econômicas e ampliar promessa de manter juros baixos


Fed deve elevar projeções econômicas e ampliar promessa de manter juros baixos


Por Reuters - 16.09.2020

Por Ann Saphir e Howard Schneider (Reuters) - O Federal Reserve deve encerrar sua reunião de...


Antes da conferência de imprensa de Powell, os EUA divulgarão seus números de vendas no varejo de agosto, os primeiros desde que o esquema de benefícios de seguro-desemprego aprimorado expirou sem reposição no final de julho. O crescimento das vendas deve desacelerar para 1% no mês, de 1,2% em julho.


2. O iene atinge o máximo de dois meses com Suga assumindo como PM

O iene atingiu seu valor mais alto desde julho, com a confirmação de Yoshihide Suga como novo primeiro-ministro do Japão.

Às 8h50, o dólar caía 0,3% a 105,11 ienes.

Suga prometeu reforma econômica, mas como um homem de 71 anos que serviu por um longo tempo sob seu antecessor Shinzo Abe, a maioria dos analistas espera uma continuação da maioria das políticas de Abe.

A força do iene está em parte ligada à recuperação geral da economia da Ásia Pacífico, que está sendo impulsionada pela China. O iuan atingiu nova máxima em 16 meses durante a noite, enquanto o dólar taiwanês e o won coreano também se fortaleceram. A alta do iene também se deve à fraqueza geral do dólar desde que o presidente do Fed, Jerome Powell, anunciou que o Fed adotaria uma maior tolerância à inflação no futuro, dizem analistas.

3. Ações devem estender ganhos à medida que Snowflake mantém o clima animado; golpe duplo para o Facebook

Os mercados de ações dos EUA não mostram nenhum sinal de permitir que a reunião do Fed atrapalhe uma forte recuperação após a volatilidade da semana passada. Eles devem abrir em alta pelo terceiro dia consecutivo, com todos os três principais índices futuros avançando, após um forte preço de IPO para a empresa de software em nuvem Snowflake.

Às 8h50, o contrato futuro de Dow 30 subia 134 pontos, ou 0,5%, enquanto o contrato futuro de S&P 500 subia 0,5%, e o contrato do Nasdaq subia 0,3%.

Isso apesar de algumas perdas notáveis de ações individuais: as ações do Facebook caíram 1,4% após um relatório de que a Federal Trade Commission está preparando uma investigação antitruste, que por sua vez se seguiu às notícias de um boicote em massa de sua plataforma Instagram por Kim Kardashian e outros perfil de celebridades e influenciadores.

As ações da Boeing foram caíam 0,1% depois de um relatório condenatório da Câmara sobre o 737 MAX, que a criticou duramente por tomar atalhos para obter a certificação da aeronave.

4. Europa aperta os parafusos dos combustíveis fósseis

O principal burocrata da União Europeia divulgou planos para reduzir as emissões de dióxido de carbono ainda mais e mais rápido do que o planejado em um discurso de "estado da união" que definiu como a Europa deve se recuperar da pandemia.

A UE agora tem como meta uma redução de 55% nas emissões de CO2 em relação à linha de base de 1990 até 2030, em vez do corte de 40% anteriormente previsto. Isso significa um cronograma mais agressivo para a eliminação dos combustíveis fósseis das cadeias de valor de eletricidade e transporte e, quase certamente, preços mais altos no programa de comercialização de emissões de carbono da Europa.

Regras ambientais mais rígidas também são um provável precursor de tentativas de impor um imposto de carbono sobre as importações a longo prazo, uma forma de vincular o acesso ao mercado para os parceiros comerciais ao seu próprio desempenho ambiental.

5. Preços do petróleo se recuperam com queda no estoque dos EUA

Os preços do petróleo se recuperavam acentuadamente após uma queda surpreendente e acentuada nos estoques dos EUA, conforme relatado pelo American Petroleum Institute, pegar o mercado de surpresa.

Por volta das 8h50, os futuros do petróleo dos EUA subiam 2,3%, a US$ 39,16 o barril, enquanto o contrato de referência internacional Brent subia 2,15%, para US$ 41,40.

O API estimou que os estoques de petróleo dos EUA caíram 9,5 milhões de barris na semana passada, confundindo as expectativas de um aumento de 2 milhões de barris. Se corroborado às 11h30 pelos dados do governo, isso poderia aliviar alguns dos piores temores sobre uma recuperação vacilante na demanda global de combustível.

Fonte: Investing.com

2 visualizações